A Prescrição e o Dever de se Jejuar no Mês de Ramadan.

 

A Descrição do Mérito do Jejum

Deus, Louvado seja, disse:

"Ó crentes, está-vos prescrito o jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Deus. Jejuareis determinados dias; porém, quem de vós não cumprir o jejum, por achar-se enfermo ou em viagem, jejuará, depois, o mesmo número de dias. Mas quem, podendo cumprir este preceito, o quebrar, redimir-se-á, alimentando um necessitado; porém, se fizer isto espontaneamente será melhor. Mas, se jejuardes, será preferível para vós, se quereis sabê-lo. O mês de Ramadan, em que foi revelado o Alcorão, orientação para a humanidade e evidência de discernimento e orientação. Por conseguinte, quem de vós presenciar o novilúnio deste mês deverá jejuar; porém, quem se achar enfermo ou em viagem jejuará, depois, o mesmo número de dias." (2:183-185)

Abu Huraira (R) contou que o Profeta
disse:

"Uma pessoa que oferece um par de qualquer coisa pela causa de Deus será chamada, de uma das portas do Paraíso: ‘Ó servo de Deus, esta porta é a melhor para ti!’. Assim, também, uma pessoa que praticar a oração (Salat) com regularidade, será, da porta da oração chamada; e aquelas pessoas que marcharem para o Jihad, pela causa de Deus, serão da porta de Raiyan chamadas (para entrarem no Paraíso – ou seja, será a porta do frescor). A pessoa que der esmolas será, da porta da caridade, chamada (para entrar no Paraíso)". Abu Bakr (RAA) disse: "Ó Mensageiro de Deus, tu que és mais querido para mim do que meus próprios pais, ouve, já sei que uma pessoa chamada (para entrar no Paraíso), de qualquer das portas, não precisará de mais nada. Entretanto, poderia alguém, de todas essas portas, ser chamado?" O profeta (SAAS) respondeu: "Sim, e espero que tu serás um deles!" (Bukhari e Muslim)

Sahl Ibn Saad (R) narrou que o Profeta
disse:

"Há uma porta no paraíso chamada Al Raiyan, através da qual, no dia do Juízo, somente entrarão aqueles que tiverem jejuado, e nenhuma outra. Será dito: ‘Onde estão as pessoas que jejuaram?’ Estas entrarão por ali, sendo que ninguém mais o fará, salvo elas. Uma vez que tiverem entrado, a porta se fechará e, posteriormente, ninguém mais poderá entrar." (Bukhari e Muslim)

Abu Huraira (R) relatou que o Profeta
disse:

"A pessoa que jejuar durante o mês de Ramadan, com fé e esperança de alcançar o beneplácito de Deus, ser-lhe-ão perdoadas as faltas." (Bukhari e Muslim)

Abu Huraira (R) contou que o Profeta
disse: "Quando chega o mês de Ramadan, abrem-se as portas do Paraíso e se fecham as do Inferno, e os demônios permanecem acorrentados" (Bukhari e Muslim)

Abu Huraira (R) narrou que o profeta
disse:

" Começai a jejuar quando virdes aparecer a lua nova e finalizai o jejum quando ela reaparecer. Se não puderdes ver claramente por estar o céu coberto de nuvens, então considerai o mês de Shaaban como se tivesse 30 dias" (Bukhari e Muslim)


A Generosidade e o Oferecimento das Boas Obras Durante o Mês de Ramadan.
A Incrementação das Obras de Caridade Durante os dez Últimos Dias do Mesmo.


Ibn Abbas (R) relatou que:

 O Profeta era a pessoas mais generosa dentre todos os homens. Especialmente durante o mês de Ramadan, costumava ser extremamente generoso, pois era quando o visitava o Arcanjo Gabriel. Durante esse mês, costumava visitá-lo todas as noites. e recitar-lhe o Sagrado Alcorão. Naqueles dias, a normal generosidade do Profeta aumentava muitíssimo, muito mais do que o vento impregnado de chuva. (Bukhari e Muslim)

Aicha (R) contou que: Quando começavam os últimos dez dias do mês de Ramadan, o Profeta costumava ficar orando toda a noite, e, inclusive, despertava os membros da sua família, e se mostrava ainda mais devoto e assíduo em suas orações. (Bukhari e Muslim).


A Proibição de se Adiantar o Jejum Antes da Entrada do Mês de Ramadam;
Quer Dizer, na Segunda Quinzena de Chaaban, Exceto no Caso da Continuação de Jejum.
Numa Segunda ou Numa Quinta-feira, Dando-se a Casualidade da Coincidência de Datas.


Abu Huraira (R) narrou que o Profeta
disse:

"Nenhum de vós deverá jejuar um ou dois dias imediatamente antes do mês de Ramadan, a não ser nos casos de uma pessoa estar acostumada a jejuar nesses dias, coisas que poderás fazer em tais datas". (Bukhari e Mulsim)

Abu huraira (R) relatou que o Profeta
disse:

"Não deveis jejuar quando começar a segunda metade de Chaaban".


O Mérito de se Lançar Mão da Consoada (Suhur);
O Retardamento da Consoada a Não Ser Que Se Tema a Entrada do Amanhecer


Anas Ibn Málik (R) contou que o Profeta
disse:

"Lançai mão de consoada (ou seja, suhur), porque há bênção nesse ato". (Bukhari e Muslim)

Zaid Ibn Sábet (R) narrou:

"Certa ocasião lançamos mão do suhur com o Profeta, e logo nos levantamos para a oração da alvorada. Perguntamos-lhes qual seria o intervalo entre ambos, e nos disse: 'O tempo necessário para se recitarem cinqüenta versículos (do Sagrado Alcorão).'" (Bukhari e Muslim)

Ibn Ômar (R) relatou que o profeta
tinha dois muézins (os que convocam à oração). Um era Bilial (R) e o outro era Ibn Ummu Mactum (R). O Profeta disse:

"Bilal, chama à oração um pouco mais cedo, quando ainda é noite. Por conseguinte, continua comendo e bebendo, até que Ibn Ummu Mactum chame." Continuou: "Na verdade, há apenas um curto intervalo entre os dois, que é quando um desce do e o outro sobe ao mirante." (Bukhari e Muslim)


O Mérito de se Quebrar o Jejum o Mais Depressa Possível
Depois do Ocaso; o Que se Come ao se Quebrar o Jejum, e as Súplicas que Acompanham o Ato


Abu Huraira (R) contou que o Profeta
disse:

"Assim disse Deus, o Todo-Poderoso Senhor da Glória: 'Dentre os meus servos, prefiro aquele que se apressa em quebrar o jejum.’” (Bukhari e Muslim)

Salman Ibn Amru (R) narrou que o Profeta
disse:

"Quando alguém quebra o jejum, deve fazê-lo com uma tâmara. Se não a tiver, deverá fazê-lo com água, porque é pura, e purifica todo o organismo." (Abu Daoud e Tirmizi)


O Dever Que Tem o Fiel Que Guarda o Jejum de Ponderar Suas Palavras e Seus Atos.

Abu Huraira (R) relatou que o Profeta
disse:

“Se uma pessoa não se abstém de mentir e de praticar atividades indecentes, Deus não deseja que se abstenha de comer e de beber”. (Bukhari)


As Questões Relacionadas Com o Jejum.

Abu Huraira (R) contou que o Profeta
disse:

“Quando algum de vós come ou bebe, por acidente, esquecendo-se do sei jejum, deve continuar o jejum até o fim, porque (comendo e bebendo por engano) significa que Deus lhe de comer e de beber”. (Bukhari e Muslim)

Laquit Ibn Sabira (R) narrou:

“Uma ocasião me apresentei perante o Profeta e lhe pedi que me informasse sobre as abluções. Disse – me: ‘Faze tuas abluções devidamente, e de modo completo, e limpa as bases dos dedos (onde os dedos se juntam), esfregado-as com os dedos opostos; e lava bem os orifícios nasais; porém, se estás jejuando, toma cuidado sobre este particular (para que a água não entre pelos orifícios nasais)’”. (Abu Daoud e Timizi)

Aicha (R) relatou: “Se o Profeta
recebia o amanhecer num estado de impureza corporal, por haver mantido contato com sua esposa, tomava um banho e jejuava, como de costume”. (Bukhari e Muslim)


A Descrição do Mérito de se Jejuar Durante os Meses de Muharram, Chaban e os Meses Sagrados.

Abu Huraira (R) narrou que o Profeta
disse:

“O melhor mês para se jejuar, depois do Ramadan, é o de Muharram, e a melhor oração, depois das prescritas (obrigatórias) é a da Tahajjud (oração voluntária) da meia – noite”. (Muslim)

Mujiba al Báhiliya conta, transmitindo o que lhe relatara seu pai ou seu tio, ou seja, que uma ocasião seu pai ou seu tio visitou o Profeta
, e regressou. Passado um ano, voltou a visitar o Profeta durante esse período a aparência e o estado de um dos homens haviam sofrido uma considerável mudança. Ele perguntou ao Profeta:

“Ó Mensageiro de Deus, reconheces-me?" O Profeta perguntou: “Quem és?” Respondeu: “Sou aquele da tribo dos Báhili que te visitou no ano passado”. O Profeta (S.A.A.S.) voltou a perguntar: “E por que esta mudança em ti? Porque eras muito bem parecido!” o Báhili respondeu: “Desde que te deixei, a última vez, não tenho comido nada, a não ser às noites (quer dizer que havia jejuado durante todos os dias do ano)”. O Profeta lhe disse: “Tu te torturaste!” Em seguida, agregou: “Deves observar o jejum durante o mês da Paciência (Ramadan), e um dia a cada mês”. O homem perguntou: “Permites-me guardar o jejum por mais tempo, já que sou bastante forte”? O Profeta repôs: “Então, jejua dois dias a cada mês!” O Báhili voltou a pedir: “Por favor, aumenta um pouco mais!” O Profeta lhe disse, então: “Jejua, pois, três dias a cada mês!” O homem pediu mais, porém o Profeta lhe disse: “Isso é tudo! E durante os meses sagrados, jejua, e abstém-te de jejuar (conforme o caso)”. O Profeta disse aquilo três vezes, e depois lhe deu a explicação, unidos e separados três dedos, querendo dizer que deveria jejuar três dias, e logo deixar de o fazer, durante três dias. (Abu Daoud)


O Mérito do Jejum e de Outras Boas Obras nos Primeiros Dez Dias de Zil Hijja

Ibn Abbas (R) narrou que o Profeta
) disse:

“Não há dias durante os quais as ações virtuosas comprazam tanto a Deus, como nos primeiros dez dias de zil hijja”. Os companheiros perguntaram: “Ó Mensageiro de Deus, nem mesmo (é mais meritório) o lutarmos – empreendermos o jihad – em nome de Deus?” Respondeu: "Não, nem mesmo o jihad em nome de Deus, a não ser que se dê o caso de uma pessoa marchar para a juhad com sua vida e sua propriedade, e voltar sem ambas (ou seja, constituir-se num mártir do jihad)”. (Bukhari)


O Mérito do Jejum Durante o Dia de Arafa, Achura (Décimo dia do mês de Muharram) E Tasu-á (Nono dia de Muharram)

Abu Catada (R) relatou que (em certa ocasião) foi perguntado ao Profeta
acerca do jejum no dia de Arafa (Hajj). Respondeu: “Isso permite emendarem-se às faltas (cometidas) durante o ano anterior e o ano seguinte”. (Muslim)

Ibn Abbas (R) contou que o próprio Profeta
jejuava no dia de achurá (décimo dia de Muharram), e exortava os demais a jejuarem nesse dia . (Muslim)

Abu Cataba (R) narrou que foi perguntado ao Profeta
sobre o jejum do dia de achurá (décimo dia de Muharram). O Profeta replicou: “Isso expia as faltas do ano anterior”. (Bukhari e Muslim)

Ibn Abbas (R) relatou que o Profeta
disse: “Se eu sobreviver até o ano entrante, jejuarei no tasu-á (Nono dia de Muharram)”.


A Recomendação do Jejum nos Seis Primeiros dias do Mês de Chawal

Abu Aiub (R) contou que o Profeta
disse:

"Quem cumpre o jejum durante todo o mês de Ramadam, seguido do jejum dos seis dias de Chawal, saiba que isso é tão bom, como se tivesse jejuado durante toda a vida." (Muslim)


A Recomendação do Jejum às Seguintes Quintas Feiras

Abu Huraira (R) narrou que o Profeta
disse:

"As segundas e as quintas-feiras apresentam um informe sobre as ações do homem e , por isso, há a preferência que ocorra quando ele esteja jejuando." (Tirmizi)

Aicha (R) relatou que o Profeta
era muito escrupuloso quanto ao jejuar às segundas e quintas-feiras . (Tirmizi)


A Recomendação do Jejum, Três Dias Cada Mês'

Abu Huraira (R) contou: "Meu amigo (benfeitor e bem-querido), o Profeta
, ordenou-me que jejuasse durante três dias de cada mês, e que oferecesse duas racát voluntárias de dhuha (manhã), e oferecesse orações de witr antes de me ir deitar." (Bukhari e Muslim)

Abul al Dardá (R) narrou que seu amigo querido, o Profeta
, lhe devia recomendado três coisas que não deveria abandonar enquanto vivesse. A primeira era jejuar durante três dias a cada mês (além de Ramadan). A segunda, oferecer duas racát de oração do meio-dia; e por último, não ir dormir antes de rezar a oração witr. (Muslim)

Abu Zar (R) relatou que o Profeta
disse:

"Quando jejuardes três dias do mês, que esses dias sejam o décimo terceiro, o décimo quarto e o décimo quinto (as noites de lua cheia do calendário lunar)". (Tirmizi)

Ibn Abbas (R) contou que o Profeta
nunca deixava de jejuar durante as noites brancas (isto é, durante as três noites de lua cheia do mês lunar), tanto fazia se se encontrasse viajando. (Nassá'i)


O Mérito de se Convidar um Fiel que Guarda o Jejum a Ceiar, e o Mérito de um Anfitrião que Guarda o Jejum.

As Súplicas que Ambos Podem Oferecer

Anas (R) narrou que numa ocasião o Profeta visitou Saad Ibn Ubada (R). Este lhe ofereceu pão e azeite de oliva. O Profeta comeu e , disse: "Aqueles que jejuam, quebraram o jejum contigo; os virtuosos comeram de teu alimento, e os anjos suplicaram por ti." (Abu Daoud)


Fonte: Livro Riadussalihin Oásis dos Virtuosos
Ditos e Práticas de Muhammad
, o Mensageiro de Deus.
Tradução: Professor Samir El Hayek.
Paginas: 203 a 210.