A Recomendação do Bem e a Proibição do Mal

A Difusão e Aconselhamento do Bem que Carrega

Com a obediência que caracteriza a fidelidade do muçulmano e com a firmeza que caracteriza sua perseverança no caminho da verdade até o fim de sua vida o muçulmano sábio e sincero, obediente e firme trabalha para difundir o bem e a verdade no ambiente onde vive, assim como está preparado

para receber e aceitar o bem e a verdade de onde quer que venha.

O aconselhamento com a verdade e a recomendação do bem é uma obrigação da nação muçulmana em geral e, caso seja negligenciada esta obrigação, todo indivíduo muçulmano tomará parte da culpa. Vemos claramente a declaração da importância da recomendação do bem no Alcorão Sagrado, pois quando ausente no seio da sociedade esta benfeitoria, prevalece o erro, a transgressão, o pecado, a desordem, a injustiça..., e são apagados os traços da benfeitoria e desapercebidos o progresso e a retidão do benfeitor. Os limites estabelecidos por Deus são ultrapassados e os direitos e deveres esquecidos.

Vemos o homem perdido, pois não consegue achar respostas para os seus questionamentos, que são vários: Quem sou? De onde vim? Para onde vou? Por que estou aqui? E depara-se diante da lei que rege a vida quer consiste em nascer, crescer e morrer. Não sabendo o que o espera após a morte, se é que algo o espera, apega-se a essa vida com unhas e dentes, tendo como sua principal meta a satisfação de todos os seus desejos e caprichos, passando, assim, por cima de todos os que cruzam o seu caminho. Como conseqüência, no plano individual, vemos as pessoas ansiosas, inseguras e angustiadas, buscando nas drogas, no álcool e até mesmo no suicídio formas de fuga, vivendo com medo da morte, buscando sempre uma forma de alcançar a eternidade. Já no plano social, vemos a miséria se espalhar, a violência crescer, a injustiça prevalecer, os preconceitos se espalharem e a decadência moral reger a sociedade. Em busca de respostas que justifiquem a sua existência, criem uma identidade e possam dar um rumo à sua vida, diminuindo, assim, as angústias, criam-se mitos e superstições que acabam por aumentar a perdição na qual o homem se encontra. (sob as luzes do Alcorão 63-64)

Em parte, um dos grandes motivos desta decadência, é o abandono da recomendação do bem e da recomendação e orientação ao bem e da proibição e alerta sobre o  mal. É a ausência da observação dos conselhos dos mensageiros de Deus, os primeiros orientadores e recomendadores, é a ausência do professor, do educador, do amigo, do pai, da mãe, do irmão, é a ausência da pessoa que seria a razão da guia de uma pessoa caso estes tivessem o orientado. Porém, quando este ensino e orientação se ausentaram, prevaleceu a perdição que levou o homem à situação deplorável que vemos.

O Alcorão Sagrado lembra várias nações cujos desejos prevaleceram sobre suas mentes fazendo prevalecer o pecado na sociedade até não terem mais condições de livrar-se dos erros cometidos, tornando-se piores que animais selvagens, não conhecendo limites nem princípios transformando a vida e a sociedade em selvageria. Nesta situação Deus decretou a destruição e a inexistência destes malfeitores, e preservou a minoria crente para começar uma nova vida cheia de fé em Deus e com a pureza, honra e princípios elevados... Porém, castigamos cada um, por seus pecados; sobre alguns deles desencadeamos um furacão; a outros, fulminou-os o estrondo; a outros, fizemo-los serem tragados pela terra, a outros, afogamo-los. É inconcebível que Allah os houvesse condenado; outrossim, condenaram a si mesmos (29:40) 

Ensinar o bem é um ato de sabedoria de alguém que quer mudar uma situação precária em qualquer sentido e em qualquer aspecto. E contentar-se com a situação, seja ela qual for, é ser cúmplice do erro e da transgressão.

Trazendo este assunto à realidade de nosso dia a dia, os pensadores muçulmanos dizem que a nação islâmica atual acabou por abandonar a obrigação de orientar para o bem, por isso acabou por ser humilhada nas últimas décadas por não ter cumprido com a obrigação de ensinar aos seus semelhantes, sejam muçulmanos ou não muçulmanos, a orientação de Deus, a qual faz reinar a felicidade na sociedade e leva ao caminho da salvação.

E ainda dizem: A nação muçulmana foi deteriorada em razão dos erros que cometeu, porém não foi totalmente destruída, porém poderá ser caso não volte a ensinar e orientar a humanidade como fazia antigamente. Chegam a esta conclusão através da regra da semelhança e igualdade!!

Mas que regra é essa? Semelhança e igualdade?

A regra da semelhança é da natureza da criação de Deus. O Alcorão nos lembra como Deus destruiu vários povos da antiguidade e os castigou devido à      desobediência, e assim, a regra natural da semelhança e igualdade rege a vida: Quem cometer o erro que causou a destruição e castigo de tais povos terá o mesmo fim e resultado: a destruição e castigo. Isto porque o semelhante tem a qualidade de seu semelhante e, conseqüentemente, arca com resultados também semelhantes. E o que ocorre com algo ocorre com seu semelhante, sendo impossível diferenciá-los numa regra, assim como é impossível assemelhar dois opostos.

Esta lei acompanha os indivíduos e nações nesta vida terrena e na vida eterna após a morte. Se fizerdes o bem e recomendá-lo terão o bem, caso contrário, se fizerdes o mal e recomendá-lo o encontrarão. Esta é uma regra e tem as suas exceções enquadradas na misericórdia de Deus, porém a regra é que deve ser levada em consideração e nela nos baseamos para medir nossos erros e acertos, pois ninguém, em qualquer assunto, baseia-se em exceções.

O Alcorão Sagrado nos dá a lição da "regra da semelhança" em várias passagens para que não cometamos os mesmos erros cometidos por quem nos antecedeu ou é nosso contemporâneo e recomendamos a verdade...

1. Deus esclarece-nos o que ocorreu com os judeus da tribo de "bani nazhir"devido à vossa incredulidade e descumprimento do tratado feito com o profeta Muhammad e devido à intriga, traição e conspiração contra ele e contra os crentes... Foi Ele Quem expatriou os incrédulos, dentre os adeptos do Livro, quando do primeiro desterro. Pouco acreditáveis que eles saíssem dos seus lares, porquanto supunham que as suas fortalezas os preservariam de Allah; porém, Allah os açoitou, por onde menos esperavam, e infundiu o terror em seus corações; destruíram  as suas casas com suas próprias  mãos e com as mãos dos crentes. Aprendei a lição, ó sensatos! (59:2)

Deus sela o versículo dizendo "aprendei a lição, ó sensatos", chamando a atenção para a "regra da semelhança e igualdade", ou seja: pensem, reflitam já que têm mente sã, pensem sobre o que ocorreu com eles, e estejam atentos para que não ocorra convosco o que ocorreu com eles se cometerdes o que cometeram, pois a regra de Deus é uma para todos e abrange a todos. Portanto, não assemelhem-se a eles na transgressão para que não sejais atingidos por castigo também semelhante.  

2. Disse Deus, o Altíssimo:

Por causa do perigo de ser açoitado pelo castigo que alcançou os antepassados, e para não assemelhar-se a eles no trágico desfecho de suas vidas e no tormento eterno após a vida, o Alcorão Sagrado mostra a importância da recomendação do bem e proibição do mal.

Os sábios muçulmanos extraíram do livro de Deus e da biografia de Seu mensageiro inúmeros trechos que indicam a recomendação do bem e a proibição do mal como parte essencial da religião, da personalidade do muçulmano e da sociedade, atestando assim, que o homem, individualmente ou em grupo, necessita do ensino e da orientação de outrem, e deve ouvir o conselho e orientação e também, orientar, para que seja um construtor de uma sociedade digna e pura assim como outros lhe antecederam nesta obrigação e lhe ensinaram...

E que tenha entre vós um grupo que recomende o bem, dite a retidão e proíba o ilícito. Estes serão os bem-aventurados (3:104)

Neste versículo, entendemos que esta recomendação é uma obrigação, pois Deus estabeleceu que exista, tenha, surja no meio da sociedade quem a oriente e aconselhe.

Também é citado que o sucesso e o bem aventurar do homem está neste caminho, pois citou que "estes" serão os bem aventurados, ou seja, definiu e resumiu o sucesso entre os que carregam a qualidade de recomendar o bem, ditar a retidão e proibir o ilícito.

Os sábios também explicam ser esta uma obrigação "kifaiah"...

Dentre as qualidades dos crentes, Deus conta esta recomendação...Os crentes e as crentes são protetores uns dos outros; recomendam o bem, proíbem o ilícito, praticam a oração, pagam o zakat, e obedecem a Allah e ao Seu mensageiro... (9:71) 

Os israelitas mereceram a maldição e o castigo pela rebeldia, profanação e por não reprovar o ilícito, deixando-o prevalecer entre eles... *Os incrédulos, dentre os israelitas, foram amaldiçoados pela boca de Davi e por Jesus, filho de Maria, por causa de sua rebeldia e profanação. Não se reprovavam mutuamente pelo ilícito que cometiam. E que detestável é o que cometiam!

 

Sheikh Ahmad Mazlum, Imam e Khatib da Mesquita de Mogi das Cruzes!