Visão Islâmica sobre a Emancipação Feminina

É comum nos dias de hoje, na cultura ocidental, encontrarmos mulheres bem sucedidas, bonitas e inteligentes reclamando da solidão, dizem não encontrarem um parceiro disposto a compromisso e se questionam qual o problema dos homens de hoje em dia! Na realidade a problemática não se encontra no comportamento masculino, tal comportamento é a conseqüência do movimento chamado de emancipação feminina. Quando as mulheres ocupam cargos de chefia em grandes empresas, trabalhando mais de 8 horas por dia, com altos salários, deixando-as com sensação de poder, elas estão invertendo os papeis sociais que antigamente eram mais claros! Antropologicamente o feminino e masculino tem a necessidade de papeis sociais bem definidos para criação e manutenção de uma sociedade. O homem tem como característica ser o provedor e ao invertemos esses papeis, tornamo-o deslocado e sem identidade, com conseqüências desastrosas para a comunidade.

O numero de homossexualismo aumenta a cada dia e o numero de mulheres solteiras ou separadas também! Claro que a mulher tem direito de trabalhar e ter uma independência financeira, mas não é natural que este seja seu principal objetivo. É da natureza feminina o cuidar acima do prover, é de sua natureza o direito ao amparo. Quando a mulher opta por assumir um papel inicialmente masculino ela deve aceitar os resultados de sua opção: geralmente a perda de um parceiro estável e a falta de tempo para dedicar-se aos filhos. A educação destes, geralmente, passa para as instituições de ensino ou às babás. Uma mãe deve dispor de tempo livre para a criança, a fim de desenvolver uma relação provida de afeto e ensinamentos!

Em busca de valores condizentes com a natureza humana cresce o numero de conversão para o islam entre as mulheres! O islam concede os direitos e deveres entre homens e mulheres sem agredir sua natureza, com isso promove uma sociedade mais equilibrada. Todo homem e mulher tem a obrigação da busca do conhecimento e o direito ao trabalho, porém é do homem a responsabilidade de prover o sustento da sua família e a mulher tem sempre o direito de amparo em uma sociedade islâmica! Ela é livre para escolher seu marido, tem o direito ao divorcio, a parte da herança, direito a participação política, desde que não ocupe os cargos de chefia, pois estes são essencialmente da natureza masculina. Tem o dever da educação dos filhos e da administração do lar. A esposa deve obedecer seu marido e o filho deve obediência à mãe até o fim de sua vida! Com essa clara divisão de funções entre os sexos torna-se mais fácil manter um núcleo familiar que é à base de uma sociedade saudável! O numero de divórcios no islam, embora licito, é pequeno.

As mulheres parecem mais versáteis do que os homens em suas funções e exatamente por esse motivo não devem suprimir o direito do homem de seu papel como chefe e provedor para que estes não percam sua identidade!