Proteja a sua Língua da Mentira

Abdullah Ibn Umar (RA) narrou que Rassulullah afirmou: “Quando a pessoa mente, o anjo (que o acompanha) afasta-se dele à distância de uma milha, devido ao mau cheiro (hálito) da mentira”. (Tirmizi)

A luz deste Hadiss, torna-se claro que a mentira é bastante condenada e que os anjos também detestam-na e sentem nojo da mesma, pois logo que a pessoa a pronuncia, eles distanciam-se a uma milha daquele lugar.

É de salientar que os anjos aqui referidos não são apenas aqueles que foram incumbidos de registrar as ações da pessoa. Todos os anjos manifestam o seu descontentamento e ódio, mas os que são responsáveis pelo registro das ações do mentiroso, vêem-se forçados a suportar esse mau hálito.

Num Hadiss relatado por Bukhari e Musslim, Rassulullah encorajou às pessoas a serem firmes em falar a verdade, pois esta significa bondade e esta, por sua vez, indica o caminho para o Paraíso. E se a pessoa continuar falando a verdade, será registrada como um verdadeiro.

Aconselhou ainda às pessoas a se absterem da mentira, pois esta indica o caminho da maldade e esta, por sua vez, caminha rumo ao Inferno. E se a pessoa continuar a falar mentira, será registrada como um grande mentiroso perante Allah Ta’ála.

Por isso, cabe ao crente falar sempre a verdade e adotar esta qualidade, mesmo que lhe custe imenso.

Nem na Brincadeira é Possível Mentir

Sayidina Abu Hurairah (RA) narra que o Profeta foi interrogado pelos Sahábah (RTA): “Vós também expressais humor e gracejo?” Ao que Rassulullah respondeu: “Sem dúvida, mas (mesmo assim) falo a verdade”. (Mishkát)

As razões que levaram os Sahábah (RTA) a colocarem esta pergunta podem ser duas: por acharem que expressar humor não faz parte da personalidade dum profeta, ou ainda, por acharem estranho o Profeta gracejar, uma vez que ele próprio os proibira de fazer isso.

Rassulullah respondeu que, mesmo quando está brincando, ele fala sempre a verdade, o que é permissível e não há impedimento algum. E para além de falar somente a verdade, a outra condição é de a pessoa com quem estiver brincando, não sentir-se ofendida, pois o objetivo do humor deve ser somente o de alegrar a pessoa e não de ofendê-la ou magoá-la.

Aquele Que Relata Relata Tudo Que Vê Também é Mentiroso

Sayidina Abu Hurairah (RA) narra que o Profeta disse: “É suficiente que a pessoa seja considerada mentirosa, desde que ela relate tudo o que ouvir.” (Mishkát)

Este Hadiss alerta-nos sobre um fato bastante importante: muitos têm o hábito de, abertamente ou às escondidas, escutar conversas das pessoas e posteriormente transmiti-las aos outros, sem qualquer receio ou mínima cautela de averiguar se o que escutaram tem alguma veracidade ou não.

Muitas vezes acontece que uma pessoa esteve a contar mentiras e a outra, que esteve a escutar, começa a transmiti-las a terceiros sem averiguar a veracidade daquilo que ouvira, espalhando assim a mentira.

Desta forma, quem tiver o hábito de transmitir às pessoas tudo aquilo que ouviu, de certeza que pode ser considerado mentiroso. O que dizer então daqueles que se intitulam de piedosos e praticantes da religião, mas que se deixam envolver nesta prática errada e, quando lhes é chamada a atenção, tentam justificar dizendo “se a notícia que me chegou é falsa, o pecado será daquele que a divulgou”, enquanto que transmitir algo dum narrador que mentiu, é divulgar a mentira (boato).

Hoje em dia, infelizmente, desde os escritórios dos partidos políticos aos dos órgãos de imprensa, todo o tipo de mentira é inventada, manipulada e divulgada, mesmo recorrendo à prática de caluniar uns aos outros; e outros, tais como a imprensa e a média que, servindo-se de agentes, levam adiante essas notícias, tornando-se também culpados pela mentira.

E os comerciantes que julgam ter recebido permissão Divina para utilizar a mentira para fins lucrativos. Ah! O muçulmano esqueceu-se da sua identidade e estatuto como representante de Allah.

Sayidina Umar (RA) narra que Rassulullah disse: “As melhores pessoas do meu Ummah são as que se encontram presentes na minha Era, depois as que lhes seguirem e depois, as que seguirem a estas. Depois disso, espalhar-se-á a mentira; testemunharão sem serem solicitadas para tal e prestarão juramento sem contudo terem sido solicitadas para tal (i.é, haverá mentiras em abundância). (Tirmizi)

Que Allah Ta’ála nos proteja da mentira e da falsidade e nos conceda a bela qualidade da verdade, através da qual o nosso querido Profeta era conhecido como “As-Sádiq” (o verdadeiro).