Um Argumento Frágil


Certas pessoas, ao serem convidadas a orar, respondem que a religião não consiste de orações, que muitos dos oram, fazem-no, mesmo tendo os corações enegrecidos e que tudo o que fazem, à parte da oração, é repreensível, e que eles, ao contrário, têm os corações puros e amam a religião mais do que aqueles... Este é o frágil argumento de que dispõem.

É como se os atos dessa pessoa e as suas preces (rejeitadas) fossem um argumento contra a religião e as contra orações, e como se a religião tivesse, unicamente, de estar assentada nos corações, sem necessitar de manifestação externa que, ao menos, refletisse a fé de tais corações e a vivência que têm dela.

Ó humanos! Temei a Deus! Buscai os meios para chegar a Ele e apressai-vos a praticar boas ações, enquanto ainda tendes tempo! Vinculai-vos ao vosso Senhor, cumprido a oração, a caridade e a bondade! Sabei que o Islam não consiste apenas na prece e sua pureza do coração, o amor a fidelidade, a retidão, a bondade, a hospitalidade, a peregrinação, a profissão de fé, a contribuição do Zakat, a adoração, a luta pela causa de Deus e a sinceridade para com Ele.

Deus diz no Alcorão Sagrado: “Suplicai, pois, a Deus, com sincera devoção”.
(40ª vers. 14)

E além do que foi dito antes, o Islam é, também, orientação e veneração, Alcorão e espada, fé, ciência e ação, magnanimidade e dignidade, Paraíso e Inferno, obediência e respeito, união e disciplina. O Islam é um todo, solidário e indivisível, que não permite ao homem crer somente numa parte do Alcorão e negar a outra, e sim crer nele em sua totalidade, agindo (o homem) para concretizar esta fé e refletindo-a em seus atos.

Ó muçulmano! Temei a Deus! E voltai-vos, arrependidos, para Ele, antes de vossa morta, pois aquele que retornar arrependido a Deus terá seu arrependimento aceita; Ele lhe concederá a indulgência e o cumulará com Suas graças.

Como é grande a misericórdia de Deus para com aquele que dirige a Ele a fim de pedir! Reconhecei-O na bonança e Ele vos reconhecerá na aflição. Retornai à vossa religião e prosperareis e serei vencedores. Lede o livro de vosso Senhor e este será a vossa provisão, luz e claridade. Segui a luz que Muhammad nos trouxe, buscai as mercês com que Deus vos irá agraciar na morada da Outra Vida, sem esquecer que estas corresponderão ao que fizerdes por merecer nesta vida, que é perecível e que não é feita só de prazer e diversão.

Praticai o bem, assim como Deus o praticou, em relação a vós e não semeeis a corrupção na terra. Observai a oração, pagai o Zakat e prostrai-vos com os fiéis. Combatei, quando for preciso, pela causa de Deus, porque um combate ainda maior vos espera, e se não vos preparardes para ele, obedecendo aos preceitos, com perseverança e disposição, vosso esforço será uma fonte de desgraças contra vós mesmos e, que Deus não o queria, sereis os perdedores. Temei, portanto, a Deus!

“Esforçai-vos em obter a indulgência do vosso Senhor e o Paraíso, cuja amplitude é igual à dos céus e da terra, e que está preparados para os tementes, que fazem caridade, tanto na prosperidade como na adversidade; reprimem a cólera e indultam o próximo. Sabei que Deus aprecia os benfeitores”.
(3ª Surata, vers. 133-134)

Que Deus nos guie, a todos, para o mais reto dos caminhos e nos ajude a perseverar nos atos de obediência; que nos console pela oração, nos conceda uma vitória digna, e devolva, à religião, a consideração devida e, ao Islam, a sua glória.

Que surja, nesta religião, aquele que a tornará vitoriosa. Deus, louvado seja, é o melhor Protetor é o melhor Provedor.
 

Louvado seja Deus, Senhor do Universo!