ZINÁ
O ADULTÉRIO

Deus, diz no Qur´an:

"Evitai a fornicação, porque é uma obscenidade e um péssimo exemplo!"( 1 )  {17ª : 32}

E diz:

"Quanto à adúltera e ao adúltero, ( 2 ) castigai-os com cem chicotadas, cada um; que a vossa compaixão não vos demova de cumprirdes a lei de Deus, se realmente credes em Deus e no Dia do Juízo Final. Que uma parte dos crentes testemunhe o castigo." ( 3 ) {24ª : 2}
 
O Profeta disse:

"O adultério dos olhos é olhar para aquilo que é Harám (ilícito); o adultério dos ouvidos é ouvir aquilo que é Harám (ilícito); o adultério da língua é falar aquilo que é Harám (ilícito - proibido); o adultério das mãos é tocar aquilo que é Harám; o adultério dos pés é andar em direção ao Harám; o adultério do coração é desejar aquilo que é Harám (proibido); o adultério da parte íntima é quando ela pratica aquilo que é Harám."

{At-Targuib wat tar-hib}
 

Este Hadith (dito) vinca que o Islam não só proíbe a prática do adultério, mas todos os atos que convidam, incentivam, fomentam e encorajam o ato do Zíná. O Islam veda o mal.

E Jesus, disse:

"Não cometerás adultério.  Eu porém, digo-vos que todo aquele que olhar para uma mulher, desejando-a, já cometeu adultério com ela no seu coração.  Porém se o teu olho for para ti origem do pecado, arranca-o e lança-o fora, pois é melhor perder-se um dos teus membros do que todo o corpo ser atirado ao inferno. E se a tua mão direita for para ti origem de pecado, corta-a e deita fora, porque é melhor perder-se um só dos membros do que todo o teu corpo seria lançado ao inferno. " {S.Mateus 5.-27-28}
 

Contudo, segundo o Islam um olhar acidental a uma mulher estranha é perdoado desde que não se repita.

O Profeta, disse:

"Deus não dirá (palavras de bondade e misericórdia) para três tipos de gente nem olhá-los-á (com olhares de misericórdia) nem purificá-los-á -, e para eles estará reservado um castigo doloroso--
     - O velho adúltero,
     - O rei ou líder mentiroso,
     - O necessitado arrogante."

O Profeta, disse:

"O Daiyuss" jamais entrará no paraíso.  Os Sahabas (companheiros dele) perguntaram : " Quem é o Daiyuss? " O Profeta, respondeu: " É o homem que não se imporia quem visita a sua mulher."

Consta que no Dia da Ressurreição, as mãos do homem que toca, com cobiça, uma mulher estranha (que não seja esposa legitima) estarão algemadas ao seu pescoço.  Se ele beijou-a, os seus lábios serão cortados e deitados ao fogo do inferno.  Se ele cometeu adultério, as suas coxas testemunharão isso contra ele e dirão-lhe: "Eu fui montado para se praticar algo proibido." Deus olhará para ele com ira.

A carne de sua face cairá e ele proclamará: "O que é que eu fiz?" A sua língua testemunhará dizendo: "Eu falei com quem não me era permitido falar."  As suas pernas testemunharão: "Eu andei em direção àquilo que me era proibido".  As suas mãos testemunharão: Eu toquei em algo que me era proibido." Os seus olhos testemunharão: "Eu lancei o olhar para as coisas proibidas".  As suas partes vergonhosas testemunharão: "E eu cometi o ato."
Um anjo dirá: "Eu escutei", enquanto outro, "Eu já escrevi".  Deus dirá: "Eu já tinha conhecimento disso mas ocultei."
Depois Deus dirá  ao Anjo:

"Deixe-o saborear o Meu castigo, a Minha ira agravou-se contra esse que não tem vergonha." Kitábul Kabáir

Consta num Hadiss (dito do Profeta) e narrado por Samura relacionado com um sonho do Profeta, em que Jibraíl e Mikaíl vieram ter com o Profeta. O Profeta conta que andaram até que chegaram junto a algo parecido com um forno, cujo topo (boca) era estreita (apertada), mas por dentro era amplo, de dentro ouviam-se gritos e barulho."

O Profeta, diz que olharam para dentro e viram homens e mulheres nus e viram também chamas em baixo deles.  Quando as chamas chamuscavam-os, eles gritavam.  Ele perguntou a Jibraíl quem era aquela gente?  A que respondeu: "Esses são os machos e fêmeas que cometeram o grave ato de Ziná (adultério).  Esse será o castigo deles até ao Dia de Quiyámah (Dia do Juízo Final)." {Relato de AI-Bukhari} 

O castigo grave do adúltero não é aplicado apenas no Islam, a Bíblia também contempla penalizações pela prática do adultério.

"Se um homem cometer adultério com a mulher de um outro homem, com a mulher do seu próximo, o homem e a mulher adúltera serão punidos com a morte." {Leviticus 20.- l 0}

"Se um homem for surpreendido a dormir com uma mulher casada, ambos deverão morrer, o homem que teve relações com a mulher e também a mulher assim farás desaparecer esse mal de Israel.
Se uma donzela, ainda virgem, estiver noiva e se um homem, encontrando-a na cidade coabitar com ela, levareis os dois para a porta dessa cidade e apedrejá-los-eis até que a morte sobrevenha: a donzela por não ter gritado, pedindo ajuda, encontrando-se na cidade, e o homem por ter abusado da noiva do seu próximo.  Assim extirparás o mal do meio de ti." {Deutronómio 22:22 a 24} 

Hoje está provado que o "Ziná" é a principal causa da Sida, por isso a forma mais efetiva de combate a esta doença mortífera é eliminar o adultério e a prostituição, assim sendo, estar-se-á a combater o mal, pela raiz.

O Profeta, disse: Quando o jovem atinge a puberdade deve se lhe fazer rasar.  Se ele atingir a puberdade e o pai não lhe fizer casar (e como tal cometer o adultério), então o pecado recairá sobre o pai.
Por isso, logo que o indivíduo atinge a puberdade mental, os pais e os tutores não devem atrasar o seu casamento para salvá-lo da prática do pecado.  Os pais serão pecadores se permitirem que homens estranhos visitem as filhas em suas casas e vice-versa."

O Profeta, disse também:

"Ó crentes! Afastai-vos do adultério, pois ele traz seis conseqüências.  Três neste mundo e outras três no outro mundo.

As três deste mundo são:

1. A luz espiritual da cara desaparece
2. A vida encurta-se
3. E empobrece a pessoa.

Quanto as três do outro mundo:

1. Causa descontentamento a Deus
2. Torna difícil a prestação de contas do Julgamento
3. Conduz a pessoa para o castigo de Jahannam (inferno)."

Quando não há temor em Deus nos solteiros em idade de casar, então eles têm relações sexuais ilícitas com homens ou mulheres, têm amantes, visitam prostitutas, freqüentam clubes noturnos e discotecas, lêem literatura pornográfica e olham para as mulheres com cobiça.

A solução de tudo isso é fazer "Nikah (casamento)".  E se por qualquer motivo válido não poder fazer "Nikah", então esse deve jejuar, evitar dirigir olhares para homem ou mulher estranhos, evitar freqüentar congregações misturadas de homens e mulheres, evitar isolar-se com mulheres estranhas, recordar sempre de Deus e pensar no Seu castigo e pedir a Deus para lhe conceder proteção.

O princípio da pureza moral exige de nós que toda a sujidade na moral seja proibida.
O Homossexualismo, o lesbianismo também estão neste grau de impureza.  O Qur' an assim como a Bíblia condenam isso, que atualmente é conhecido por «gay».

Consta na Bíblia:

"Não coabitarás sexualmente com um varão; é uma abominação." {Levítíco 18:22}

E diz que os que praticam isso merecem a morte assim como consta nos Romanos 1: 26, 27 e 32.

Consta que o Profeta, disse:

"Há sete tipos de indivíduos que no Dia de Quiyámah, Deus não lhes olhará, nem os purificará nem incluir-lhes-á entre os eruditos e Ele lançá-los-á para o inferno, salvo se eles arrependerem-se, (pois) quem se arrepender, Deus aceitará o seu perdão nomeadamente: Aquele que se masturba; aquele que pratica o homossexualismo; aquele com quem foi praticar o  homossexualismo (o homossexual passivo); o alcoólico crônico; aquele que bate os seus pais, de forma a que eles procuram ajuda; aquele que prejudica os seus vizinhos de forma a que eles o amaldiçoem e aquele que comete o adultério com a esposa do vizinho." {Tafssir Mazhari}


( 1 ) - Literalmente, "é mau como uma estrada (ou caminho)". O adultério não apenas é, por si só, vergonhoso e incompatível com qualquer respeito próprio ou respeito para com os outros, mas também abre caminho para muitos pecados. Ele destrói a base da família; vai contra os interesses dos filhos nascidos ou por nascer; pode causar assassinatos, contendas entre famílias, perda da reputação e mesmo de propriedades, além de afrouxar permanentemente os laços da sociedade. O adultério não somente deve ser evitado como um pecado, como ainda qualquer tentativa, ou tentação a ele deve ser evitada. voltar

( 2 ) - A palavra Zina inclui a relação sexual entre um homem e uma mulher que não sejam casados um com o outro. Por conseguinte, ela se aplica tanto ao adultério (o que quer dizer que uma ou ambas as partes são casadas com uma pessoa ou pessoas que não aquelas referidas) como à fornicação, o que, em sua estrita significação, implica em que as partes não são casadas. A lei do casamento e do divórcio, no Islam, é simples, para haver o mínimo de tentação quanto à relação sexual fora dos expedientes bem definidos do casamento. Isto colabora para o maior respeito próprio, tanto do homem como da mulher. Outras ofensas sexuais são também puníveis, mas esta seção se aplica estritamente à Zina, acima definida. voltar

( 3 ) - A  punição deve ser pública, para que seja dissuasiva. voltar